sexta-feira, 27 de julho de 2018

O spin não usa bola de cristal no seu processo de scrying

O spin não usa bola de cristal e sim os próprios olhos: fechados, claro...

Como se nos apresentou esta questão

Antes de tudo, o resultado de busca para....scrying...

https://www.google.com.br/search?q=scrying&oq=scrying&aqs=chrome.0.69i59j0l5.8168j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

Aos fatos....tempos atrás, o spin, interessado em,  a partir do seu calendário, que tem 74 dias, fazer um jogo ou baralho ou tarot, por acaso se lhe apresentou um anúncio de curso sobre tarot, foi numa tarde, aprendeu alguma coisa, e fez o seu baralho...estava no celular, pois havia enviado a sua criação para umas 3 pessoas...e o próprio spin ficou sem nada, pois seu celular foi roubado quando ele estava no interior de um ônibus na...avenida Anhanguera....

Ontem, novamente, deparou-se, no facebook. com um anúncio de novo curso


http://selomisticodoveu.com/index.html

E ai lembrou do bowe...e enviou para ele uma mensagem ao celular, do qual ja tinha o número nos contatos...



A direção do spin

O spin se movimenta na direção de onde o sol nasce para onde o sol se põe...vi isso ontem quando passava pela praça das mães, ao sair do centro médico....ao lado do hospital Anis Rassi...foi quando vi que a avenida anhanguera é um rio....e na margem esquerda do rio, ou seja, do lado esquerdo de quem vai do nascente para o poente, fica a vida e, na margem direita, a morte....

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Revelação de sonho: Da democracia na cidade spin: a Escola de Principios Democráticos

Revelação de sonho

Da democracia na cidade spin: a Escola de Principios Democráticos

01:53 - mais cedo dormi e sonhei olhei foi a Escola de Princípios Democráticos....

Não a "democracia" que ai  temos, mas a democracia baseada nas leis da integralidade, que não tem nada a ver com perfeccionismo nazi, até mesmo porque é o oposto disso: a escola fica após a última cerca ou propriedade: a cerca é a expressão da última contradicção a ser erradicada: a posse: isso que levou o pai a matar o próprio filho, tido por ele pai como propriedade sua,,..como assim..isso é uma afronta aos princípios democráticos...,..

Mas que princípios democráticos seriam estes: não sei....espero que venham à tona: talvez você possa nos ajudar

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Relato de sonho desta noite: O ECOS

Na postagem anterior fui tão sintético que já nem me lembro mais com que sonhei
Nem rola portanto esta conversa de enxugamento
Isto aqui é um rascunho, é prá falar à vontade, um canto livre:

Muita coisa por fazer e não e meu tempo curtíssimo, imagina só configurar todos os blogs do Dicionário D, da caixa de comentários a tudo quanto há ainda por terminar,  da forma que está parece, e é, rascunho

E não é só isso, pois ainda nem sei como usar este sistema, ontem achei-o muito matemático, o que não bate com minha rede neuronial, assim foi-se contruindo

Tudo bem, nesta noite sonhei com umas obras e as coisas se resolveram, vou levar adiante sem muita complicação, é no andar da carruagem que os porcos se ajeitam, que seja assim, comentários no blog do Luis Nassif:


Perguntas De Um Operário Letrado
Bertolt Brecht
Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilónia, tantas vezes destruida,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
No dia em que ficou pronta a Muralha da China para onde
Foram os seus pedreiros? A grande Roma
Está cheia de arcos de triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem
Triunfaram os Césares? A tão cantada Bizâncio
Sò tinha palácios
Para os seus habitantes? Até a legendária Atlântida
Na noite em que o mar a engoliu
Viu afogados gritar por seus escravos.
O jovem Alexandre conquistou as Indias
Sozinho?
César venceu os gauleses.
Nem sequer tinha um cozinheiro ao seu serviço?
Quando a sua armada se afundou Filipe de Espanha
Chorou. E ninguém mais?
Frederico II ganhou a guerra dos sete anos
Quem mais a ganhou?
Em cada página uma vitòria.
Quem cozinhava os festins?
Em cada década um grande homem.
Quem pagava as despesas?
Tantas histórias
Quantas perguntas



Lindo,
Engraçado, nesta noite sonhei com um poema que de tão erudito ou complicado não entendi
Era uma obra de arte
O poema havia sido impresso num folder, destes que se distribui na rua
O designer gráfico que criou  o folder havia deixado um espaço sobre o qual  o poema foi impresso sobre papel A-05
No alto uma cor e sobre ela impressa OS ECOS
Logo abaixo começou o poema impresso sobre outra cor, se não me engano, amarelo
No rodapé nada escrito
Ao acordar esqueci o poema
Ao ler isto lembrei-me do sonho
Ah, esqueci de dizer que o designer, aliás, artista ou poeta usou uma impressor da HP  conectada a um pc para imprimir seu poema
Não é assim que se escreve a última frase, está tão complicada, preciso ser mais erudito, memo que ninguém me entenda

FONTE:  http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/sobre-a-historia-do-egito

Atualização:
Nesta noite sonhei também que havia consertado coisas que eu havia escrito ou desenhado ou pintado, tudo bem, a corroboração deste sonho consistiria em apagar este meu texto, não gostei da forma ou do que foi escrito, como está escrito, muito estranho ou incompreensível ou pessoal ou autista
No entanto não vou fazer isso, até mesmo porque no momento estou sem tempo, fui, o importante é que depois, muito tempo depois, ao voltar por aqui, eu me lembre dos sonhos

Atualização 2: eu disse quando voltar por aqui?
Este espaço não é aqui então, pois só voltarei aqui caso sonhe novamente, e se por acaso eu não me lembrar mais de sonhos ao acordar, este blog estará encerrado por falta de lembranças, o que quer dizer que o lugar certo para encontrar as coisas quando eu voltar é no portal Calendário D, mais exatametne no dia de hoje
Hoje são quanto mesmo no calendário D
Um momento, vou dirigir-me aos blogs Calendário D
Achei, hoje são 2 de marte no calendário D

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Relato de sonho

Nesta noite sonhei que o artista Enauro de Castro conduzia uma bicicleta, sendo que eu estava na garupa.

Após nos perdermos, nos vimos por entre labirintos e, logo em seguida, num caminho que se entendia longamente à nossa frente sem sabermos ao certo aonde chegaríamos.

Não havia lugar aonde se chegar.

O condutor da bicicleta continuava em sua carreira
Tentei falar para que ele pisasse no freio e, no entanto, ele não me obedecia, não me ouvia

Não tive outra opção senão tomar a direção do veículo, dar meia volta, voltar...
Quando fiz isso, a bicicleta virou um cavalo, spin equestre, animal
Senti-me bem mais familiar, vi que sim, agora poderia ter domínio da situação
A minha visão é a de que todos os personagens que aparecem num sonho somos nós mesmos desdobrados em vários para que, como num espelho, nos entendamos, compreendamos o mundo, o nosso derredor e, se não me comprendi, pelo menos isto despertou-me quanto a esta necessidade.
Voltei.